Você sabe se está no sobrepeso? Aprenda sobre o IMC.

O que é o índice de massa corpórea?

O índice de massa corpórea (IMC) foi definido pela Organização Mundial de Saúde como sendo um parâmetro de medida para definir os diferentes graus de obesidade. Considera-se normal quando o resultado do IMC variar de 20 a 24,9kg/m2. De 25 a 29,9kg/m2 defini-se como sobrepeso e, acima de 30kg/m2, como obesidade. Existem ainda 3 graus de obesidade: grau I entre 30 e 34,9 kg/m2, grau II entre 35 e 39,9 kg/m2 e grau III acima de 40 kg/m2. A obesidade grau III também pode ser chamada de obesidade mórbida.

Para você saber se está com o peso ideal, faça o seguinte cálculo:
Peso (em kg) dividido pela altura ao quadrado (em metros).

Por exemplo: Se o seu peso for de 60kg e sua altura de 1,70m, então – 60kg dividido por (1,70 x 1,70m) = 60 / 2,89 = 20,7 kg/m2.
Este valor final é o que chamamos de índice de massa corpórea (expresso em kg/m2). Consulte um endocrionologista!

Dra Camila Maciel - Endocrinologia em Juiz de Fora - MG

Síndrome Metabólica

Medir a cintura está na moda! E você sabe por quê? Porque a circunferência abdominal – melhor explicando, a medida da “cintura” na altura do umbigo – é um dos componentes da chamada Síndrome Metabólica. As consequências da obesidade devem ser aboradadas não somente levando em consideração o peso, mas a circunferência abdominal também.

O valor ideal da circunferência abdominal para mulheres seria inferior a 80cm e, para homens, inferior a 94cm. A Síndrome Metabólica é caracterizada por um conjunto de fatores de risco para Doenças Cardiovasculares (por exemplo, infarto e derrame).

Estes fatores de risco incluem:
- “cintura” alterada: maior que 88cm para mulheres ou maior que 102cm para homens
- níveis de triglicérides maiores que 150mg/dL
- níveis de HDL colesterol (o colesterol “bom”) menores que 40mg/dL para homens e 50mg/dL para mulheres
- glicemia de jejum maior ou igula a 110mg/dL
- pressão arterial maior ou igula a 130/85mmHg

Triglicérides, HDL colesterol e glicemia são dosados (ou mensurados) no sangue.
Se você tiver 3 ou mais dos destes fatores citados, você é portador da Síndrome Metabólica.

Apesar de existirem poucos dados brasileiros sobre esta síndrome, no InCor (Instituto do Coração - HCFMUSP), nós analisamos a prevalência da Síndrome Metabólica na população de Vitória – ES, onde observamos que 26% desta população é portadora da síndrome e concluímos que as mulheres são mais acometidas que os homens, principalmente por serem mais obesas e apresentarem maiores taxas de “cintura” alterada. As classes sociais menos favorecidas também são mais afetadas. Quanto mais avançada a idade, maior a chance do aparecimento desta patologia.

Para prevenção, é importante uma dieta saudável e a prática regular de atividade física para garantir assim a manutenção do peso dentro da faixa da normalidade.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda 1hora de atividade física pelo menos 3 vezes por semana. Uma dieta adequada é rica em verduras, fibras, legumes e frutas. Cuidado com os alimentos ricos em gordura (frituras, embutidos, queijos, fast food). Todos os fatores que compõe a Síndrome Metabólica estão diretamente relacionados ao peso.

Faça exames de sangue para avaliar o colesterol e a glicemia pelo menos uma vez ao ano. Cuide de sua saúde e garanta a longevidade com qualidade de vida. Consulte um endocrionologista!

Dra Camila Maciel - Endocrinologia em Juiz de Fora - MG

Você chegou de férias com alguns quilinhos a mais? E agora?

São tentadores os pratos e sobremesas oferecidos em hotéis e restaurantes freqüentados por boa parte dos turistas durante as férias. Mas poucos destes estabelecimentos deixam à mostra a quantidade de calorias contida nestes alimentos. Alguns produtos, principalmente os de confeitaria, são confeccionados com ingredientes contendo a tão maléfica gordura trans. Este é um tipo de gordura que nosso organismo não consegue metabolizar por mecanismos próprios, sendo a mesma depositada diretamente sobre os vasos sanguíneos com conseqüências futuras e muito graves sobre cérebro e coração.

Por isso, um “check up” para verificar os níveis sanguíneos de colesterol e glicose é importante pelo menos uma vez ao ano para pessoas acima de 40 anos, mas desde os 20 anos de idade já é recomedável a avaliação destes perfis sanguíneos para verificar sinais de diabetes e colesterol alterado.

Depois de chegar de férias e perceber que seu peso está alterado na balança com alguns quilinhos a mais, é importante atentar para algumas recomendações de como reverter rapidamente esta situação. Uma dieta balanceada com muitas fibras (verduras e frutas) é um bom começo. Para que a redução do peso seja obtida em um período de tempo mais curto, pode-se aliar uma atividade física moderada como, por exemplo, caminhada de 1 hora 3 vezes por semana, de preferência em algum lugar em que se possa relaxar e se sentir à vontade. O mais importante é que se crie o hábito de praticar qualquer atividade física pois, além de permitir que seu peso permaneça estável, esta é a principal maneira de elevar os níveis sanguíneos de HDL-colesterol (conhecido como “colesterol bom”).

Então, esta é a sugestão de uma dieta palatável e que permite a perda de peso associada ao bom funcionamento do organismo:

café da manhã:1 fatia de pão de forma light (com grãos) e requeijão light e 1 copo de leite desnatado ou suco light;

às 10h: meia maçã ou pera;

almoço: 3 colheres de sopa de arroz (ou 1 batata soutè), 2 colheres de sopa de ervilha, lentilha ou feijão, 1 filé de peixe, 1 pires de chá de legumes, verdura à vontade e de sobremesa 1 fatia de abacaxi ou melão;

lanche da tarde: 2 torradas,1 fatia de peito de peru e 2 damascos;

jantar: 1 filé de frango grelhado e verdura à vontade;

lanche da noite: 1 iogurte light.

Café e chá com adoçante podem ser consumidos à vontade durante todo o dia. Lembre-se de tomar bastante água, pelos menos 2 litros ao dia. Fique atento ao suco light, ele também pode ser calórico. É importante olhar sempre o rótulo dos alimentos para se certificar da quantidade de calorias por porção. Uma boa dica para enganar a fome seria deixar sempre potinhos de gelatina diet na geladeira, é pouco calórica e reproduz a sensação de saciedade.

Em caso de sobrepeso ou obesidade, consulte um endocrionologista.

Dra Camila Maciel - Endocrinologia em Juiz de Fora - MG

Obesidade infantil, como lidar?

A obesidade infantil tem aumentado muito nos últimos anos. Isto pode ser observado em estatísticas mundiais e também brasileiras. O problema é que a obesidade não é um problema único, junto com o aumento do peso aparecem outras doenças como diabetes, doenças do coração (pressão alta) e colesterol alterado (aumento do colesterol “ruim” e triglicérides).
Hoje já sabemos que, em crianças, o diabetes tipo 2 (causado pela obesidade) ultrapassa o diabetes tipo 1 (causado pela falência do pâncreas, aquele diabetes que não tem como ser evitado) em número de pacientes acometidos. Sabemos também que o diabetes tipo 2 pode ser evitado e, inclusive revertido, com a simples redução de peso.
Alguns fatores que passam despercebidos pelos pais devem ser observados.
A televisão e o computador foram incluídos na rotina das crianças. No consultório, quando investigamos quantas horas por dia são gastas com estas atividades, descobrimos que, na maioria das vezes, as crianças passam todo o tempo livre sentados diante da TV ou do computador. Assim, a criança limita-se a ir à escola ou permanecer em casa sentada e, o que é ainda pior, “beliscando” salgadinhos ou acompanhados por pacotes de bolachas.

Primeira atitude dos pais: Sugiram às crianças que pratiquem algum esporte. Não escolham por eles. Lembrem-se que o melhor esporte para uma criança é o que ela goste porque assim ela não terá desculpas para faltar às atividades e se empenhará durante o treino. Tentem ocupar todos os dias da semana com esportes variados, descubra as preferências de seu filho. Se a atividade física é oferecida na escola, matricule-o em várias atividades. O hábito de exercitar-se se inicia na vida infantil. A criança condiciona-se a ter uma vida movimentada e acostuma-se a ela. Desta maneira, mesmo que a predisposição genética (melhor explicando, mesmo que os pais sejam “gordinhos”) seja um fator importante, o filho poderá retardar ou evitar o aparecimento da obesidade com a prática regular de exercícios físicos.

Segunda atitude dos pais: Não comprem guloseimas como balas, chocolates, salgadinhos e bolachas nem pra eles nem pra vocês. A compra de supermercado não deve incluir estes itens. Não há como evitar que as crianças tenham contato com este tipo de alimento porque certamente serão oferecidos por amiguinhos na escola ou em festinhas de aniversário. Mas não incluam guloseimas na rotina. Crianças são influenciadas pelos hábitos alimentares dos pais. Vocês serão vistos como exemplo. Então, pelo menos, evitem ter guloseimas em casa. Lembrando que salgadinho e bolachas recheadas são uma fonte importante da tão comentada gordura “trans” - aquela que aumenta o colesterol ruim (LDL colesterol).

Terceira atitude dos pais: Observem o lanche da escola. Se a criança puder levar o lanche de casa para a escola, já facilitará muito a adequação alimentar. Geralmente as opções que se observam em cantinas de escola não são consideradas saudáveis, exceto onde as refeições são supervisionadas por nutricionistas. Se você puder preparar o lanche de seu filho, o faça. Prefira suco natural, requeijão light, peito de peru, pão de forma light e frutas. Desta forma, você terá como garantir que seu filho tenha uma alimentação saudável e equilibrada.

Quarta atitude dos pais: Fiquem de olho nos hábitos da escola. Algumas escolas elegem geralmente a sexta-feira como o dia “livre”, ou seja, as crianças podem comer o que quiserem (salgadinhos, doces). Qual a melhor atitude tomar diante desta situação? Proibir que seu filho faça o mesmo que seus colegas? Não penso que esta seja a melhor opção. Conversar com os orientadores da escola poderia ser uma postura mais eficiente por 2 motivos: primeiro, você estará readequando a alimentação não só de seu filho; segundo,  não adianta proibir seu filho de comer, pois se seus colegas levarão guloseimas, eles farão “trocas” utilizando “moedas” criadas por eles mesmos (trocarão os lanches ou algo parecido). À distância, você não terá como monitorá-lo.

Quinta atitude dos pais: Não cobrem que a criança perca peso se vocês não estiverem perdendo. Novamente lembrando, você é o exemplo. Recebemos em consultório filhos obesos de pais obesos. O que as crianças mais gostam (e se divertem mesmo!) durante a consulta é quando pesamos seus pais. As crianças percebem quando as regras são impostas só para elas e, surpreenda-se você, elas não aceitam - e com razão. A partir do momento em que a regra é para a casa, a chance desta regra ser respeitada aumenta muito.
Pense em emagrecer junto com seu filho. Se você estiver com o peso adequado, alimente-se de modo saudável e pratique exercícios físicos para que você, sendo o exemplo, tenha um bom hábito a ser espelhado. Faça sua parte. Hábitos de vida saudável para os pais é garantia de saúde para os filhos. Se o seu filho está acima do peso ele está precisando de você.
Obs.: Outras podem ser as causas de obesidade como, por exemplo, alterações hormonais.

Consulte um endocrionologista. Atendemos endocrionologia infantil e adulto em Juiz de Fora, MG.

Pense Magro

Baseada na terapia cognitivo comportamental, o livro Pense Magro (de Judiht Beck), apesar de não substituir o apoio da equipe multidisciplinar (endocrionologista, nutricionista, educador físico, psicólogo), é uma boa opção de dicas úteis e práticas para quem quer emagrecer. Abordando questões práticas do dia-a-dia, ensina técnicas para que você vença os “pensamentos sabotadores”-aqueles que fazem com que a gente caia em tentação. Vale a pena ler. Consulte um endocrinologista. Atendemos endocrionologia em Juiz de Fora-MG.

Contatos

Rua Rei Alberto, 180 - Cep.: 36016-300 tel.: 32 3213-3087 / 32 3237-9000

 

Assinar Newsletter